Mais de 10 milhões de usuários já baixaram a plataforma

14.11.2020 TRE

Neste ano de eleição, o e-Título foi atualizado para proporcionar mais facilidades aos eleitores. Agora, é preciso apenas colocar o número do CPF para acessá-lo. Com o aplicativo, é possível visualizar o título eleitoral em versão digital. Dessa forma, o eleitor não precisa mais levar, no dia da votação, o documento em papel.

Criado em 2017 e implementado pela primeira vez em 2018, o aplicativo oferece informações sobre o sistema eleitoral e permite a retirada de certidões. Por meio dele é possível identificar a zona eleitoral e a situação cadastral do eleitor, bem como pode obter certidão de quitação eleitoral e certidão de crimes eleitorais.

“O aplicativo traz praticidade ao usuário, não trava e, em caso de perda do título físico, o eleitor pode usar e-título”, comenta a estudante de Análise de Desenvolvimento de Sistema, Natally Kisielewicz. A universitária também avalia que ficou mais fácil ver qual é a zona e as seções eleitorais, já que os dados aparecem junto com o cadastro pessoal.

O aplicativo pode ser baixado pelo celular, fazendo com que o título esteja na palma da mão, no próximo domingo (15), quando acontece o primeiro turno das eleições 2020. O download está disponível, gratuito, para as plataformas Android e IOS, através do Google Play e do Apple Store.

Comentários no Google Play destacam os problemas do aplicativo

Até o fechamento da matéria, o Google Play registrava mais de 10 milhões de downloads e 56,7 mil avaliações com a nota média do aplicativo de 3,3 (em uma escala de vai de 1 a 5 estrelas).

Com comentário no topo das avaliações no Google Play, o eleitor Pierre Cunha, que atribuiu ao e-Título cinco estrelas, destaca a simplicidade do App ao relembrar a complexidade do sistema eleitoral dos EUA. Cunha alerta, no entanto, para a necessidade da capacidade de operação em massa do aplicativo. “Gostei bastante do app, muito bem feito, tem as funções necessárias e no meu uso funcionou bem”, avalia. “Só achei um pouco lento e fiquei com medo de como será no dia da eleição, com o volume de acessos gigantesco”, pondera.

Já Isabel Moura relata, em avaliação também no Google Play, que desistiu de usar o aplicativo após instalar e não conseguir sair da primeira tela. Em resposta às reclamações da usuária, a Justiça Eleitoral Brasileira orienta a desinstalação e a reinstalação do aplicativo, que apresenta nova versão e cuja disponibilidade de acesso pode se dar em até 72 horas. Caso as dificuldades técnicas persistam, o eleitor pode entrar em contato com o suporte técnico pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

Ficha técnica
Reportagem: Diego Chila e Sabrina Luz
Edição: Larissa da Silva Godoi
Supervisão: Professores que ministram as disciplinas práticas do curso