Entidades universitárias repudiam a ação da polícia federal que retirou faixas antifascismo e de apoio à democracia em 27 universidades federais pelo país. As ações policiais foram justificadas como combate à propaganda eleitoral.

 

A Associação Nacional dos Docentes de Ensino Superior (ANDES) divulgou nota contra a ação policial dentro das Universidades e informa que deve divulgar orientações para professores que se sentirem perseguidos. O documento denuncia ainda a medida proposta por redes sociais que pede aos estudantes que gravem professores em sala de aula afim de identificar “discursos ideológicos”.

 

Procurada pelos repórteres Alexandre Douvan e Hygor Leonardo, a reitoria da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) reiterou o posicionamento divulgado em nota o apoio à democracia publicada no site da UEPG no dia 19 de outubro. A reitoria afirmou ainda que busca uma universidade habitada pelos mais diversos modos de pensamento e correntes ideológicas.

 

No último dia 27 , a ministra do Supremo Tribunal Federal, Carmen Lucia, concedeu limitar que suspende as operações policiais desta natureza dentro das Universidades. Os ministros Marco Aurélio Mello e Luiz Roberto Barroso também se posicionaram contra as operações. A Defensoria Geral da União reiterou a nota publicada pelo estado do Rio de Janeiro em que defende a liberdade de pensamento nas universidades.