Universidade Estadual de Ponta Grossa tem 8 bolsas retiradas.

Sala de pós-graduação na UEPG. Foto: Denise Martins.

No início do mês de maio, o Governo Federal anunciou a suspensão de novas bolsas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) dos cursos de mestrado e doutorado em todo o país. A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) teve 8 bolsas retiradas e conta, atualmente, com 305 bolsistas de mestrado e doutorado.


Segundo a presidente da Associação de Pós-Graduandos da UEPG (APG), Isabela Gobbo, o corte nas bolsas dificulta o acesso à pesquisa para pessoas que não possuem renda para se manter nela. “8 bolsas correspondem a 8 alunos de pós-graduação que poderiam estar desenvolvendo sua pesquisa de forma integral e que teriam melhores condições de se sustentar”, completa. Gobbo aponta que o corte de bolsas, que utilizam critérios de demanda social para os repasses, torna a universidade mais elitizada, dificultando o acesso à pesquisa.
A UEPG conta com 22 cursos de mestrado e 10 de doutorado. O Coordenador do Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Ensino de História, Paulo Eduardo Dias de Mello, relata que o Programa conta com 4 bolsas da Capes neste ano e que, embora os recentes cortes promovidos pelo Governo não afetaram as atuais bolsas, pois elas já estavam inseridas no Sistema de Gerenciamento de Bolsas da Capes. A manutenção das bolsas para as próximas turmas é uma preocupação. “Esse clima de incertezas e insegurança é acentuado porque o governo vem atacando ideologicamente a área de Humanas”, afirma.
As bolsas de mestrado e doutorado, que correspondem a R$ 1,500 e R$ 2,200, respectivamente, auxiliam os estudantes para continuar com suas pesquisas. Diante dos cortes na educação propostos pelo Governo, manifestações se espalharam por todo o país. A primeira delas foi realizada no dia 15 de maio e foram registradas em mais de 200 cidades. Os 26 estados mais o Distrito Federal aderiram à paralisação. Foi a primeira grande manifestação realizada durante o governo Bolsonaro.
A reportagem entrou em contato com a Pró- Reitoria de Pós-Graduação (Propesp) da UEPG, mas até o fechamento desta edição não obteve resposta.

 

 

Leia mais:

Cortes na CAPES prejudicam alunos que recebem bolsa de mestrado na UEPG

Corte na pesquisa preocupa pós-graduação na UEPG

#30M: Estudantes promovem manifestação contra corte de verbas na educação

 

Ficha técnica

Reportagem: Renata Oliveira

Foto: Denise Martins

Edição: Hellen Scheidt

Supervisão: Professoras Angela Aguiar, Fernanda Cavassana, Hebe Gonçalves