Disciplinas como Psicologia, Filosofia e Sociologia integram campo humanístico.

               Cerca de apenas 260 alunos da rede pública possuem acesso à cursos profissionalizantes na área humanística. |Foto: Yuri Marcinik.

Apenas 13% dos 2006 estudantes da rede pública de Ponta Grossa, que optaram por realizar o ensino técnico/profissionalizante de maneira subsequente (após o término do Ensino Médio) em 2019, possuem acesso às disciplinas voltadas para a formação humanística. Das oito instituições de ensino abrangidas pela rede pública, apenas a Escola Estadual Regente Feijó (EERJ) mantém disciplinas voltadas para a área humanística para os seus 258 alunos de cursos profissionalizantes. As disciplinas são distribuídas entre os cursos de Técnico em Secretariado, Administração e Recursos Humanos.

 

 Professores recém-formados ficam sem sem oportunidade de iniciar a carreira 

                                                                Sala de aula vazia | Foto: Arquivo Portal Periódico

Desde 2013, o Governo do Paraná não realiza concurso público para professores do Ensino Fundamental II e Médio. O que afeta alunos e docentes. Até agora, o quadro de professores tem sido preenchido por contratos pelo Processo Seletivo Seriado (PSS). Há dois anos venceu o prazo para chamada dos aprovados no último concurso. Nesse período, apenas houve saí­da de professores e nenhuma entrada efetiva. 

Estudantes protestam contra o corte de verbas da educação no ato realizado no dia 30 de maio / Foto Érica Fernanda

O repórter Éder Carlos relembra o #30M quando estudantes realizaram ato em defesa da educação. Em Ponta Grossa, estudantes colocaram sobre a fachada da UEPG faixa com a inscrição "EM DEFESA DA EDUCAÇÃO". Éder Carlos relembra o papel protagonista do movimento estudantil paranaense que barrou o projeto do governo federal de implantar a cobrança de mensalidade na UFPR, durante a Ditarura Civil-Militar, ao final dos anos 1960. O repórter alerta para o processo de precarização do ensino público que traz a ameaça de fechamento de universidades estaduais no próximo semestre.

Como forma de referência cidadã, a Escola Municipal Prefeito José Bonifácio Guimarães Vilela criou um projeto para que os alunos pensem políticas públicas para o contexto onde estão inseridos. Através de uma proposta de redeção e montagem de maquetes, os alunos pensaram em uma forma de revitalização para praça localizada no Parque Nossa Senhora das Graças que fica ao lado da escola. Mais tarde, os materiais foram enviados a Prefeitura Municipal de Ponta Grossa que prometeu reestruturar o espaço de acordo com as ideias propostas pelos alunos.

Confira o jornal completo: https://www.youtube.com/watch?v=6VLp5-TGR9I&t=101s

Ficha Técnica
Reportagem: Raylane Martins e Mariana Santos
Edição: Thaiz Rubik
Supervisão: Professoras Angela Aguiar e Fernanda Cavassana
Técnico de edição: Jairo de Souza

 

  • O corte dos recursos destinados à educação provoca mobilização de estudantes em Ponta Grossa.
  • A primeira paralisação nacional ocorreu no dia 15 de maio, em que alunos levaram suas pesquisas e projetos feitos na universidade para mostrar à população nas ruas.
  • Reitores e representantes das universidades do Paraná se reuníram no dia 23 para organizar ações contra a decisão do corte de investimento.
  • No último dia 30 de maio, a mobilização em oposição ao bloqueio de verbas federais e estaduais foi ainda maior.

 

Acesse outra matéria relacionada: 

Movimento Estudantil discute agenda de mobilização para dia 30 maio

https://periodico.sites.uepg.br/index.php/educacao/1448-movimento-estudantil-discute-agenda-de-mobilizacao-para-dia-30-maio

 

 

 

Ficha técnica:

Reportagem: Bruna Kosmenko e Rafael Santos

Imagens: Gustavo Camargo e Rafael Piotto

Produção: Francielle Ampolini

Professoras responsáveis: Angela Aguiar, Fernanda Cavassana e Paula Melani.