Eixo “Gestão e Administração da Cidade” pautou o atual funcionamento do IPLAN e utilização de vazios urbanos

 

Na manhã deste sábado (25), a 6ª Conferência Municipal da Cidade discutiu especificidades por eixos temáticos, como Gestão e Administração. O grupo, composto por 13 pessoas, focou o debate no atual funcionamento e gestão administrativa e orçamentária do IPLAN.

Levantamento do Periódico indica que 7 dos 10 principais pontos da plataforma política apresentada por Marcelo Rangel em 2012 não foram atingidos

Marcelo Rangel (PPS), eleito em 2012, propôs 144 pontos e o Periódico conferiu a execução das dez principais metas durante os 3 anos e 6 meses da atual administração. Das 10, apenas 1 foi realizada, 2 parcialmente executadas e as outras 7 não saíram do papel.

 

O Pronto Atendimento Infantil (PAI) foi instalado junto a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Santa Paula. Mas, segundo informação do Conselho Municipal de Saúde, atualmente o serviço é terceirizado e esta sobrecarregado devido ao processo de desligamento do Hospital da Criança e do fim dos CAS. Outro problema apontado aos repórteres do Periódico é a dificuldade de deslocamento até o PAI.

 

A construção do Centro de Especialidades Médicas nos postinhos da cidade com plantonistas após as 18h é desconhecida por membros do Conselho Municipal de Saúde. A única situação descrita é a doação de um terreno para construção de um Centro de Especialidades pelo Governo Estadual, ao lado do Hospital Regional, em Uvaranas. A prefeitura de Ponta Grossa licitou a obra para construção do Centro de Especialidades, porém a empresa vencedora desistiu da execução.

 

A promessa de retomada dos módulos policiais nos bairros foi deixada de lado devido a uma mudança de estratégia, segundo a Secretária de Segurança Pública. Os 100 guardas municipais que deveriam ser contratados durante os quatro anos de gestão estão em processo de contratação agora, três meses antes das eleições.

 

O Centro de Desintoxicação apresentado no plano do então candidato Marcelo Rangel também não saiu do papel. Esta é a afirmação do Presidente do Conselho Municipal de Políticas Públicas sobre Drogas: “não temos estruturas especificas mas o CAPS-AD apresenta estrutura ambulatorial que atende a demanda da cidade”.

 

A criação de novos parques na cidade e a construção do Jardim Botânico no Parque Ambiental não saiu do papel.
De acordo com a apuração da reportagem, o atual número de lojas do Mercado da Família – sete ao total – é o mesmo do governo Pedro Wosgrau Filho, não havendo a ampliação prometida na proposta de governo.

 

O Centro Municipal de Atendimento ao Idoso, uma das metas propostas por Marcelo Rangel, não foi criado, conforme apuração da reportagem junto a profissionais da área de Serviço Social. Segundo Maria Iolanda de Oliveira, representante da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) no Conselho Municipal dos Direitos do Idoso, o projeto de criação de uma creche para idoso não foi aprovada pelo Conselho. “A proposta era que eles permanecessem parte do dia no local, mas o projeto não apresentou condições de atendimento”, completa a representante.

Outra meta apresentada na campanha eleitoral de 2012 foi a resolução do problema de habitação popular. A promessa de transparência da fila de espera da Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar) foi cumprida, com a abertura de uma aba de Portal da Transparência no site da Companhia. Contudo, a construção de 6.000 casas pela Prefeitura e a promessa de zerar a fila de espera não foram cumpridas e a fila possui cerca de 13.000 pessoas. “Não tem como a Prolar construir moradias sem a parceria com o Governo Federal”, explica o presidente da Companhia, Dino Schrutt.

 

Das 4.000 quadras pavimentadas prometidas, apenas 170 foram efetivadas pela Companhia Pontagrossense de Serviços (CPS). Em comparação a Cascavel, que possuí aproximadamente a mesma extensão de Ponta Grossa, foram 71 quadras a menos. Ao todo, Ponta Grossa pavimentou cerca de 119.000m².

 

A revisão e aplicação do Plano de Cargos e Salários para os servidores municipais foi parcialmente cumprida pela atual administração. Até o momento, o principal plano contemplou os professores da rede municipal.

 

Salvar

João Stefaniak vem pesquisando as questões da habitação e direito à cidade desde 2011 e participará da Conferência Municipal

 

O professor João Stefaniak, membro do Conselho da Cidade pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), foi o primeiro entrevistado da Segunda Redação Integrada (Periódico) do curso de Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

O mês de maio foi voltado à conscientização no trânsito com o Movimento Maio Amarelo.
Ponta Grossa ocupa o quarto lugar no ranking entre as cidades do Paraná com mais acidentes de trânsito.
O objetivo do movimento é mobilizar e conscientizar a população para a reduzir os perigos no trânsito. As escolas municipais da região receberam palestras para a conscientização das crianças no trânsito.

 

 

Movimento Estudantil vai a Câmara de Vereadores e Prefeitura, repudia prisão de aluno da UEPG e obtem liberação do Cartão Estudante no trasporte coletivo

{youtube}-_j9nhmauAE{/youtube}

O Movimento “Libera Meu Cartão” surge após a Viação Campos Gerais restringir o uso do Cartão Estudante, que isenta alunos em 50% do valor de tarifa, e o Passe Livre ao ínicio do ano letivo. Estudantes da UEPG, UTFPR e secundaristas formam o “Movimento Estudantil Independente”, como defendido por Raphaela Pacheco, acadêmica de Engenharia Química na UTFPR, durante a sessão ordinária da Câmara de Municipal de Ponta Grossa no dia 21/05.