O último concurso para servidores técnicos da Universidade foi realizado em 2011. Desde então só foram admitidos temporários com contrato de um ano, prejudicando o desempenho dos serviços da UEPG.

O curso foi premiado duas vezes em primeiro lugar e três em terceiro. Foto: Hellen Scheidt

Os trabalhos inscritos nas categorias Fotojornalismo e Monografia ficaram em primeiro lugar na 23ª edição do Sangue Novo, que aconteceu na noite de sexta-feira (01/11). O curso de Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa recebeu o prêmio em cinco das 23 categorias durante a premiação que ocorreu na Universidade Positivo, em Curitiba. O curso levou também três troféus de terceiro lugar pelas categorias Jornal Laboratório Impresso, Reportagem Escrita - Impresso e Produto Jornalístico para Web/Portal de Notícias.

O Sangue Novo é único prêmio no Brasil voltado para estudantes da graduação em Jornalismo realizado por um sindicato, o Sindicato dos Jornalistas do Paraná (Sindijor). Realizado desde 1995, o prêmio procura contribuir para a melhoria no ensino de Jornalismo através do reconhecimento dos trabalhos dos estudantes. Neste ano, foram inscritos mais de 360 trabalhos de universidades públicas e privadas de todo o estado.

O jornal laboratorial Foca Livre também foi premiado na edição anterior do prêmio, ficando em terceiro lugar e o portal Cultura Plural recebeu o prêmio pela quarta vez, estando presente nas edições 23ª, 20º, 18º e 17ª do Sangue Novo.

Confira a galeria com os trabalhos premiados:

1º Lugar Fotojornalismo: “Maria Fumaça 204: O encontro do presente com o passado”, de João Guilherme de Castro e Veridiane Parize. Foto: Hellen Scheidt.
1º Lugar Monografia: “O suicídio no Jornalismo: abordagens e contribuições para coberturas responsáveis”, da ex-aluna Andressa Zaffalon e Rafael Schoenherr, orientador. Foto: Hellen Scheidt.
3º Lugar Jornal Laboratório Impresso: “Foca Livre ano 26: O papel e o destino do jornal impresso em tempos de jornalismo de convergência”, inscrito pelos alunos Alexandre Douvan, Amanda Dombrowski, Arieta de Almeida, Fabiana Manganotti, Hellen Scheidt, João Pedro Teixeira, Letícia de Oliveira Gomes, Matheus Rolim, Nadine Bianca Sansana, Natália Barbosa, Rafael Santos, Thaiz Rubik e Veridiane Parize e pelas professoras Angela Aguiar, Cibele Abdo e Hebe Gonçalves. Foto: Renata Szafranski.
3º Lugar Reportagem Escrita – Impresso: “Prefeitura canaliza arroio para beneficiar empreendimento privado” e “Empresa beneficiada em canalização do arroio Charqueado fez doação para campanha eleitoral de Rangel”, de Hellen Scheidt e Thaiz Rubik. Foto: Arieta de Almeida.
3º Lugar Produto Jornalístico para Web/Portal de Notícias: “Projeto de extensão Cultura Plural: produção jornalística na web e interação com grupos culturais e artistas de Ponta Grossa/PR”, inscrito pelos alunos Amanda Gongra, Ana Istschuck, João Guilherme de Castro, Lucas Cabral, Matheus Gastaldon e Millena Villanueva e pelos professores Ivan Bonfim e Karina Woitowicz. Foto: Hellen Scheidt.

 

Ficha técnica:

Texto: Arieta de Almeida e Hellen Scheidt

Edição: Hellen Scheidt

Fotos: Arieta de Almeida, Hellen Scheidt e Renata Szafranski

Supervisão: Professora Angela Aguiar

 

Com pouca procura por parte dos acadêmicos da UEPG, grupo terapêutico voltado ao tratamento da ansiedade foi cancelado no último mês de Setembro.

  Desproporção mostra a diferença entre estudantes brancos e negros que tentam ingressar na universidade. Foto: Alexsander Marques

O número de inscritos pelo sistema de cotas raciais oriundos de escolas públicas nos vestibulares de 2016 a 2019 da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) não alcança 3% do total de inscritos em cada ano. Os dados são do Informativo das Inscrições nos Vestibulares, divulgado pela Coordenadoria de Processos de Seleção (CPS) da UEPG. As inscrições para o Vestibular de 2016 registraram 21.845 candidatos para cotas universais e escolas públicas, sendo 532 pessoas por cotas raciais, o que equivale a 2,44% do total de inscritos.

Cursos da UEPG e UTFPR são prejudicados por corte de recursos estaduais e federais. As instituições não têm recursos para investir em equipamentos e materiais utilizados em aulas práticas e nas pesquisas.

Assista a reportagem de Alexandre Douvan e Luiza Sampaio:

 

 

Ficha técnica:

Repórteres: Alexandre Douvan e Luiza Sampaio

Edição:Hellen Scheidt

Supervisão: Professoras Angela Aguiar, Fernanda Cavassana e Paula Rocha

Técnico multimídia: Jairo Souza