Na última segunda-feira (29) servidores da rede Estadual paralisaram as atividades em diversas cidades do Paraná. Na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) as reivindicações estão entre o pagamento da data-base referente às perdas da inflação, que somam 16,24% desde 2016; defesa da carreira docente; autonomia da universidade e contra a reforma da previdência. “Nós estamos lembrando os quatro anos do massacre do Centro Cívico, a mobilização estadual pela reposição dos 16,24% e também contra a reforma da previdência do Governo Federal”, explica Marcelo Ubiali Ferracioli, presidente do Sinduepg.


Durante todo o dia 29, no campus Central e de Uvaranas da UEPG,  integrantes do Sinduepg distribuíram panfletos e conversaram com os estudantes e professores que não aderiram à paralisação. A comunidade docente de todo o Estado luta pelo pagamento da data-base que o Governo do Paraná não repõe há 40 meses. “Isso não significa uma reivindicação por aumento de salário, pelo contrário, nós apenas estamos exigindo o nosso direito do reajuste inflacionário”, reforça a vice-presidente do Sinduepg, Carina Alves da Silva Darcoleto.

A paralisação do dia 29 de abril foi aprovada em assembleia promovida pelo Sinduepg no último dia 23.

paralisacao2-29-04-2019
Distribuição de panfletos na parte externa da UEPG
paralisacao1-29-04-2019
Professores distribuem panfletos para a comunidade acadêmica
paralisacao6-29-04-2019
Ação contribui para a memória e conscientização do 29 de abril
paralisacao4-29-04-2019
Professora distribuindo panfleto contra a reforma da previdência
paralisacao5-29-04-2019
Participação de alunos e professores
paralisacaoa
Café comunitário
paralisacao7-29-04-2019
Alunos também aderem a paralisação
paralisacao8-29-04-2019
Professores explicam as reivindicações
paralisacao9-29-04-2019
Panfletagem aconteceu também dentro das salas de aula
paralisacao10-29-04-2019
Professor mostra os artefatos utilizados pela polícia em 2015
paralisacao12-29-04-2019
Alunos também ajudaram na distribuição de panfletos dentro de sala de aula
Previous Next
Ficha técnica
Reportagem: Veridiane Parize
Edição: Nadine Sansana, Natália Barbosa, Thailan de Pauli Jaros, Thaiz Rubik
Foto: Veridiane Parize
Supervisão: Professoras Angela Aguiar e Fernanda Cavassana
Debate destacou a curricularização da extensão, a transformação do jornalismo brasileiro e a estrutura laboratorial dos cursos Foto: Hellen Scheidt

O 9° Encontro Abej de Coordenadores de Curso de Jornalismo contou com a participação de representantes de 16 instituições de todo o país. Os coordenadores debateram "A qualidade na formação superior em Jornalismo e os impactos das Diretrizes Nacionais Curriculares - avanços e recuos".

O jornalista André Salamucha, da RPC, faz palestra sobre jornalismo de TV / Foto: Malu Bueno

O 18ºEncontro Nacional de Professores de Jornalismo (ENPJ) contou, nesta manhã de sexta-feira (26), com palestra sobre jornalismo de TV realizada pelo repórter André Salamucha e pela produtora Gisele Wardani que atuam na emissora RPC, em Ponta Grossa. O cuidado com a abordagem da fonte pelo repórter e com o uso das redes sociais na produção foram pontos destacados pelos jornalistas.

José Lázaro Ferreira e Alexsandro Teixeira, jornalistas e criadores da Agência Livre.jor. Foto: Arieta de Almeida

Palestra com integrantes da Agência Livre.jor sobre jornalismo independente no Paraná foi uma das atividades que abriu o 18º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo (ENPJ), no Campus Central da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Os jornalistas Alexsandro Teixeira e José Lázaro Ferreira explicaram a importância do jornalismo de dados, do fact-checking e da prática jornalística livre de amarras políticas ou financeiras.

A base será instalada na antiga sede do Projeto Rondon, ao lado do portal de entrada do Campus. Foto: Danilo Schleder

A construção da base da Polícia MIlitar no campus Uvaranas da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), com início em fevereiro, tem conclusão prevista para o final de abril. Depois de uma ação do Deputado Federal Aliel Machado e do Governo do Estado do Paraná, a medida anunciada em outubro de 2018 abrange todo o espaço da universidade e região. A base será instalada na antiga sede do Projeto Rondon, ao lado do portal de entrada do Campus. O módulo funcionará 24 horas como ponto de apoio para as viaturas da Polícia Militar, que vão circular por Uvaranas fazendo a ronda do bairro.